Algumas pessoas são mais tímidas que outras em diversas situações. Saiba se a timidez é uma doença e como vencê-la.

A timidez é uma condição humana complexa de medo ou desconforto perante situações ou pessoas desconhecidas.

É caracterizada pelo medo, predisposição e pela experiência prévia do embaraço, isto é, da vergonha.

Não pode ser considerada uma doença por ser inerente ao ser humano, entretanto, é dita, muitas vezes, como a raiz de alguns tipos de ataques de pânico ou descrita como um tipo de “ansiedade social”.

A relação da timidez excessiva com o termo “doença” é incorreta e inaceitável, a timidez é parte do indivíduo, no entanto seu nível de influência no cotidiano é variado e apenas quando é constatado um desvio de personalidade para uma condição em que se evita o convívio social, somente esse desvio pode ser considerado patológico, com raízes na timidez, e deve ser tratado.

Timidez excessiva na infância

A timidez excessiva nas crianças é um processo complicado que pode causar um bloqueio na sua evolução.

As crianças tímidas são, muitas vezes, rotuladas por essa característica e assumem essa posição como se fosse natural ser cada vez mais introvertido.

Sim, certo grau de timidez é natural, no entanto, grande parte das crianças tímidas aprisiona-se em um grande medo de exercer suas atividades e brincadeiras de forma livre e de ir ao encontro dos outros com prazer por puro receio do que vai encontrar.

Essa restrição causa uma imensa dor nas crianças que, geralmente, é compreendida apenas muitos anos depois.

Timidez excessiva na adolescência

A adolescência é uma fase de muitas mudanças físicas e psicológicas, também é o momento em que se questionam sua imagem e suas ideias, a autocrítica e a crítica alheia são muito presentes nesse período, no entanto é essencial saber trabalhar a mentalidade do jovem nessa etapa de transição.

Muitos adolescentes desenvolvem em uma grande timidez em função de críticas excessivas e desorientadas de outras pessoas a seu respeito, isso faz com que se escondam da sociedade instintivamente, preferindo não se expressar a receber críticas.

Esse fato é extremamente doloroso e se não tratado pode gerar um caso de fobia social.

Timidez excessiva: o que fazer?

Em relação às crianças, a primeira atitude e talvez a mais importante seja jamais rotulá-las como tímidas, pois elas absorvem o conceito e vão se comportar assim por um bom tempo.

Considerando as crianças tímidas é importante incentivar o trabalho em grupo como em teatros, aulas de música e pintura os quais também dão vazão à criatividade, elogiar suas atividades e acompanhar de perto seu desenvolvimento.

Já para os adolescentes, o diálogo é essencial para que a fase de transição seja bem resolvida e não deixe resultados negativos. Além disso, em ambos os casos, a terapia é uma ajuda fundamental, pois expõe os medos da pessoa, ajuda-a a entender a irracionalidade de muitos deles e, por ser uma técnica de treinamento, a encará-los no cotidiano para que sejam superados.

Assim, a timidez deve ser vista como um comportamento natural até certo ponto, quando começa a interferir frequentemente no cotidiano causando restrições nas atividades diárias, esse é o momento crítica de pedir auxílio, ou de auxiliar, e trabalhar para a superação desse medo irracional e desnecessário da relação para com a sociedade.